DMAD

Sessão com Artistas II

conference_off debate_on video_off Para avaliação

Sessão pública de videoconferência com os artistas participantes na exposição, aberta a familiares, amigos e público em geral.

Cada artista fará uma demonstração do seu projeto, que pode ser complementada com a informação disponibilizada em cada página individual (ver ligações abaixo).

Seguir-se-á um debate com questões colocadas aos artistas.


22 julho 14:30 – 16:00

Palavras-chave: curadoria, participação, colaboração, divulgação, interação

Moderação: Pedro Cabral Santo

Endereço da videoconferência: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/99852629964


Auschwitz do Pós-Moderno propõe um re>>connecting do público com situações atuais, perante imagens de catástrofes, e de as relacionar para que se possa refletir sobre o que vê, ao mesmo tempo que interage com o som. Com isto cria-se um dilema, em que o público ou se concentra na imagem ou no som, sendo obrigado a fazer uma escolha, consciente ou não, à semelhança do que se passa no mundo, em que as pessoas também têm essa escolha de agir perante o que vêm – ou não.

O Conto Interativo da Bordadeira assume um re>>connecting com a valorização da tradição, da identidade e da cultura popular portuguesa, o lugar, a cultura oral, as narrativas de base popular atravessadas pela história e pela literatura.

Ivagination conduz-nos a um re>>connecting com a liberdade do corpo e da sexualidade feminina através da força da ancestralidade e da autobiografia, enquanto instrumento de resistência e transformação dos valores patriarcais opressores. O corpo da mulher é objeto de apreciação e depreciação no sistema patriarcal, e a sua genitália é simultaneamente foco de desejo, prazer, aversão, perversão, violência, tabu, vergonha, empoderamento, desconhecimento e, também, mistério.

Mean inspira um re>>connecting entre a força e o valor da mensagem, e o pensamento crítico, em tempos onde a verdade e a mentira se confundem graças a uma cultura da desinformação e de fake news . Será que o nosso juízo deve prevalecer na avaliação do que nos é fornecido ou devemos aceitar qualquer informação, tal como nos é entregue?

Pelo Futuro do Passado provoca um re>>connecting dos 4 elementos primordiais com a consciência e a ética, questionando o mundo, a sociedade e a vida através de um processo de interação. Visa, assim, um re>>connecting de significados e um  reforço de sentidos sobre o ambiente, a vida e a globalização. Não nos dá respostas, mas interroga-nos sobre as nossas escolhas.

Vandalismo ao Crepúsculo propõe, através de uma experiência imersiva, um re>>connecting com a liberdade de escolha entre o imediatismo e a ponderação, entre os instintos mais violentos e os mais criativos: é mais fácil destruir ou construir? Que tipo de apelo exerce sobre nós a possibilidade de vandalizar as obras de terceiros, numa época em que assistimos à destruição de ícones e estátuas?

who AR we? confronta-nos com o re>>connecting da noção de presença  e observação, onde um poderio económico e governamental pervasivo utiliza a tecnologia, muitas vezes de forma dissimulada, para recolha de dados e criação de sistemas de informação; e um re>>connecting entre a persona física e a persona digital para a redefinição do pós-humano.