DMAD

Conferência de Encerramento – Priscila Arantes

conference_on debate_onvideo_offavaliacao_off

Estética da Interface em tempos de pandemia: net art, redes sociais e cultura digital. 

A discussão sobre as relações entre as práticas artísticas e a tecnologia digital não é recente, mas ganharam novos olhares em tempos de pandemia em função do uso massivo das plataformas virtuais como meio de circulação e expressão criativa.

Talvez o nome do sistema operacional da Microsoft nunca tenha assumido sentido tão particular em tempos de isolamento: Windows. Das antigas janelas de Leon Battista Alberti, e de suas regras de perspectiva colocadas em cheque pelas produções artísticas contemporâneas, as janelas digitais e suas paisagens de visibilidade e circulação vêm ganhando cada vez mais olhares e espaço de produção criativa. Net art, memes, postagens no instagram, apresentação de orquestras e lives via facebook são algumas das manifestações que os internautas podem encontrar nas inúmeras conexões disponíveis na web. Na era do “pós – digital” trata-se não somente de verificar as produções da arte digital mas de perceber de que forma o ‘mundo digital’, a internet e as redes influenciam as produções criativas .

Partindo deste pressuposto Estética da Interface em tempos de pandemia: net art, redes sociais e cultura digital se divide em dois momentos:

Em um primeiro momento trabalharemos com o conceito de estética da interface na sua relação com a arte digital e no diálogo com autores diversos (Vilém Flusser, Bérgson, Peter Weibel, etc). Posteriormente deslocaremos a discussão para este “segundo” momento da estética da interface (estética da interface 2.0) voltada para as produções artísticas e criativas desenvolvidas em diálogo com as redes sociais.

Como estudo de caso trabalharemos não somente com as produções artísticas desenvolvidas especialmente para estes novos meios mas com algumas práticas apresentadas pelo museu Paço das Artes através do projeto curatorial #paçoemtodolugar .


Recursos adicionais:

Mídia, gestos e sociedade – diálogos entre Vilém Flusser e Fred Forest

Diálogos transdisciplinares: arte e pesquisa


24 julho 18:00 – 19:30

Formato da sessão:

18:00 – Videoconferência – Priscila Arantes

18:40 – Debate

19:15 – Sessão de encerramento

Endereço da videoconferência: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/892995310


Priscila Arantes

Formada em Filosofia (USP), possui mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e pós-doutorado pela Penn State University (USA) e UNICAMP. É diretora e curadora do Paço das Artes (Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo) desde 2007 e, entre 2007 e 2011, foi diretora adjunta do Museu da Imagem e Som/SP. Presidiu o Comitê Internacional da ARTECH (Digital and Interactive Arts-Portugal). Membro do Conselho Editorial do Journal of Science and Technology of the Arts (CITAR/PT).

Colaboradora editorial da Flusser Studies (BR/USA) e da Revista ARTELOGIE, da E’cole des Hautes Etudes em Sciences Sociales(FR). Coordenadora editorial da coleção ARTEHOJE! (BR). Integra o ID+, Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura (Universidade do Porto, de Aveiro e do Cavado).

É membro do CAA (College Art Association/USA), da ABCA (Associação Brasileira dos Críticos de Arte) e da ANPAP (Associação Nacional de Artes Plásticas). Entre os prêmios recebidos destacam-se: Society of Latin American Studies, Fundacion Cisneros/Getty Foundation, Getty Foundation e o 48º Prêmio Jabuti (finalista) pelo livro Arte@Mídia: perspectivas da estética digital (FAPESP/SENAC).

É autora de Arte@Mídia: perspectivas da estética digital (SENAC, 2012 2ed.), Reescrituras da Arte Contemporânea: história, arquivo e Mídia (SULINAS, 2015), co-autora de Estéticas Tecnológicas: novas formas de sentir (EDUC/SP), Arte: história, crítica e curadoria (EDUC), etc.

É docente do PPG em Design, Arte e Tecnologia da Universidade Anhembi Morumbi, Vice-Coordenadora e professora do Curso de Arte: Crítica e Curadoria da PUC/SP e bolsista Produtividade PQ 2 do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Áreas de interesse e pesquisa

Cultura Digital, Museu Digital, Cultura Contemporânea, Museu e Tecnologia, Curadoria, Arte Digital, Arte Contemporânea, Estética Contemporânea.